Governo de Moçambique conclui processo de reestruturação de empresas públicas

20 June 2019

O Governo de Moçambique concluiu em 2018 os processos de reestruturação de oito empresas públicas com contas “no vermelho”, com a finalidade revitalizar o tecido empresarial do Estado, segundo escreve a agência AIM.

As oito empresas abrangidas, em 2018, foram as Telecomunicações de Moçambique/Moçambique Celular (TDM/Mcel), Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), Petróleos de Moçambique (PETROMOC), Sementes de Moçambique (SEMOC), Empresa de Importação e Exportação de Medicamentos (MEDIMOC), Transmarítima, Complexo Agro Industrial de Chókwè e Empresa Estatal de Farmácias (FARMAC).

Segundo o jornal “O País” criado pela AIM na TDM/Mcel houve uma reestruturação operacional, financeira e de recursos humanos e na SEMOC foi celebrada parceria com a Agência do Vale do Zambeze para injecção de cerca de US$ 4,8 milhões.

No que se refere à  MEDIMOC, o processo foi com base num acordo com a empresa Medigest sobre a sua participação e a abertura de capitais, elaboração do plano de redimensionamento da mão-de-obra e liquidação da dívida com a banca através da venda de alguns imóveis.

Para superar a crise da Transmarítima, foi assinado um memorando de entendimento com a empresa Preschaut para o desenvolvimento do projecto de cabotagem marítima e elaborada a estrutura de dívidas e sua priorização.

Em relação à FARMAC, a gestão foi transferida para o Instituto de Gestão de Empresas Participadas pelo Estado (IGEPE) e constituída uma comissão de reestruturação e para o Complexo Agro Industrial de Chókwè está em curso a negociação do contrato de cessão de exploração e a rescisão do contrato de trabalho com a maioria dos funcionários.

Na reestruturação da LAM e PETROMOC, o governo repassou os créditos conseguidos através de acordos de retrocessão. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH