Refinaria de Cabinda, em Angola, obtém direito de utilização de terreno

3 July 2019

O contrato de direito fundiário para o terreno onde será construída a Refinaria de Cabinda foi terça-feira assinado pelo governador provincial de Cabinda, Eugénio Laborinho e pelo presidente do Conselho Executivo da Sonaref, do grupo Sonangol, Joaquim Kiteculo, segundo a imprensa angolana.

A refinaria, a ser construída na planície do Malembo numa área com cerca de 313 hectares, terá uma capacidade de processamento de 60 mil barris de petróleo/dia, para a produção de gasóleo, gasolina, “fuel oil” e “Jet A1” e vai gerir mil empregos directos numa primeira fase.

O governador provincial de Cabinda disse ser a assinatura deste contrato muito importante para a província e recordou que a concessão concedida à Sonaref surge no âmbito de uma parceria com a empresa United Shne, que vai assumir os custos de financiamento.

Joaquim Kiteculo disse, por seu turno, que o primeiro passo para a construção da refinaria será a preparação das infra-estruturas, processo que deverá levar cerca de sete a oito meses, estando a entrada em funcionamento prevista para o segundo semestre de 2022.

A construção da refinaria de Cabinda faz parte das prioridades da Sonangol e integra o Plano Nacional de Desenvolvimento no âmbito da estratégia do governo de redução de custos com a importação dos derivados, estando o seu custo estimado em  dois mil milhões de dólares, a serem financiados pelo banco russo VTB. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH