Subscrição da OPV da Hidroeléctrica de Cahora Bassa, em Moçambique, fica hoje concluída

12 July 2019

A subscrição da Oferta Pública de Venda de 2,5% das acções representativas do capital social da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) encerra hoje, sexta-feira, nos termos do calendário desta operação.

A venda de 680 milhões de acções, que podem ser adquiridas a 3,0 meticais cada, está reservada a cidadãos ou a empresas de Moçambique, sendo que o apuramento da operação está marcado para 17 de Julho com liquidação no dia seguinte.

O anúncio da entrada de novos accionistas no capital da HCB foi efectuado em Novembro de 2017 pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, na cerimónia que assinalou o décimo aniversário do acordo assinado entre Portugal e Moçambique que sancionou a alteração da estrutura accionista do empreendimento.

A admissão à cotação das acções, cuja operação foi liderada por um consórcio constituído pelo Banco Comercial e de Investimentos (BCI) e Banco BIG, está marcada para 22 de Julho não havendo ainda data para dispersão dos restantes 5% de capital.

A ideia é vender um total de 2040 milhões de acções da empresa, que correspondem a 7,5% do capital social, tendo o presidente do Conselho de Administração, Pedro Couto, adiantado que os resultados desta primeira fase deverão ditar o caminho a ser tomado nas próximas vendas, sendo que o preço de cada acção poderá aumentar.

Situada no rio Zambeze, na província de Tete, centro de Moçambique, a barragem é a maior da África Austral, com construção iniciada em 1969 e em operação a partir de 1977.

O Estado moçambicano detém 85% das acções da HCB, 7,5% pertencem à Redes Energéticas Nacionais (REN), empresa de transporte de energia de Portugal e outros 7,5% são acções próprias. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH