Exploração de gás natural em Moçambique permite mais receitas para o Estado

6 August 2019

Os investimentos a serem realizados na exploração do gás natural são um “passo gigantesco” para a arrecadação de mais receitas para o Estado e para a dinamização da economia nacional, disse o Presidente de Moçambique, segunda-feira em Palma.

Filipe Nyusi, ao usar da palavra no lançamento da primeira pedra da unidade de processamento de gás natural da Mozambique LNG, disse ainda que o projecto liderado pelo grupo Anadarko Petroleum Corporation “vai permitir catapultar a economia de Moçambique ao nível regional, continental e global.”

“Com a implantação desta infra-estrutura, cuja primeira pedra tivemos o privilégio de lançar, abre-se uma nova página na história de Afungi, de Cabo Delgado, de Moçambique e de África”, disse o presidente, para acrescentar que “este projecto define Moçambique, de forma irrefutável, como um destino de investimento directo estrangeiro.”

A unidade tem custo estimado em 150 milhões de dólares e terá capacidade para produzir 12,8 milhões de toneladas de gás natural liquefeito por ano, dos quais 11,1 milhões de toneladas por ano já foram vendidos a compradores europeus e asiáticos.

O governo de Moçambique e os parceiros do bloco Área 1, liderados pelo grupo Anadarko Petroleum Corporation, rubricaram recentemente, em Maputo, a decisão final de investimento do projecto de gás natural liquefeito.

Trata-se de um investimento de cerca de 25 mil milhões de dólares a serem financiados em 14 mil milhões de dólares por fundos bancários e em 11 mil milhões de dólares por capitais próprios dos accionistas da concessão.

O bloco Área 1 da bacia do Rovuma é operado pelo grupo Anadarko Petroleum Corporation, através da sua subsidiária controlada a 100% Anadarko Moçambique Área 1, Ltd, com 26,5%, que tem como parceiros a ENH Rovuma Área Um, subsidiária da estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, com 15%, Mitsui E&P Mozambique Area1 Ltd. (20%), ONGC Videsh Ltd. (10%), Beas Rovuma Energy Mozambique Limited (10%), BPRL Ventures Mozambique B.V. (10%) e PTTEP Mozambique Area 1 Limited (8,5%). (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH