São Tomé e Príncipe tem de aumentar a sua capacidade produtiva, FMI

7 August 2019

São Tomé e Príncipe deve aumentar a sua capacidade produtiva a fim de criar riqueza, disse terça-feira em São Tomé a representante  do Fundo Monetário Internacional (FMI), no final de mais uma ronda de avaliação da situação macro-económica do arquipélago.

Xiangming Li, à saída de uma audiência com o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, antes de uma outra com o Presidente Evaristo Carvalho, disse ainda que caso São Tomé e Príncipe não consiga aumentar a sua capacidade produtiva “não será capaz de enfrentar as dificuldades que irão surgir de futuro.”

A chefe de missão do FMI, citada pela agência noticiosa STP-Press, disse estar o primeiro-ministro “absolutamente consciente dos enormes desafios que tem pela frente, das questões antecedentes que colocaram o país na situação presente e também consciente sobre as formas de encontrar soluções para os problemas.”

Xiangming Li referiu-se à questão da dívida pública acumulada, que está relacionada com a dívida da Empresa de Água e Electricidade (EMAE) para com a Empresa Nacional de Combustíveis e Óleos (ENCO), “um problema que tem de ser resolvido.”

“É preciso reduzir as dívidas da EMAE e, em simultâneo, aumentar as receitas da empresa, além do que o preço de venda dos combustíveis têm de cobrir o seu custo, porque o governo não pode continuar a subsidiá-los”, disse a chefe de missão do FMI. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH