Angola contrata Banco Mundial para assessorar programa de privatizações

14 August 2019

O governo de Angola contratou o Banco Mundial como consultor estratégico para o processo de privatização de 195 empresas, 32 das quais classificadas como de referência nacional, disse segunda-feira em Luanda o ministro de Estado para a Coordenação Económica.

Manuel Nunes Júnior, que falava na sessão de apresentação pública do Programa de Privatizações de Angola 2019-2022, disse que a contratação do Banco Mundial deriva da complexidade do programa e do facto de se tratar de uma instituição com uma grande experiência internacional naquele domínio.

O ministro, citado pela agência noticiosa Angop, referiu que a alienação dos activos do Estado obedecerá a várias modalidades e procedimentos, tendo em conta o facto do programa fazer parte de um processo mais amplo de reestruturação do sector empresarial público.

Com essa medida, pretende-se não só promover a iniciativa privada, mas também garantir que ali onde o Estado estiver presente seja eficiente e acrescente valor ao processo de criação de riqueza no país.

Neste processo, segundo o ministro, caberá ao Estado reforçar o seu papel de órgão regulador e coordenador do processo de desenvolvimento do país, passando o sector privado a ser o motor do crescimento económico de Angola.

“O nosso objectivo é edificar em Angola uma economia baseada num crescimento forte e sustentado”, reforçou, acrescentando que para tal o país terá de acabar com a grande dependência da economia num só produto, o petróleo, que gera cerca de 95% dos recursos externos do país e mais de 70% de toda a receita fiscal. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH