Empresas da China interessadas em programa de privatizações de Angola

2 September 2019

Empresas chinesas têm manifestado interesse no compra de unidades industriais incluídas no programa de privatizações recentemente anunciado pelo governo, disse o embaixador da China em Angola, Gong Tao.

Em declarações ao Jornal de Angola à margem da sessão de apresentação do relatório intitulado “Relações China-Angola à luz das oito iniciativas propostas na Cimeira de Pequim do Fórum para a Cooperação China-África (FOCAC 2018)”, o diplomata disse que as empresas interessadas irão passar à fase de análise dessas empresas para posterior eventual apresentação de propostas.

Gong Tao recordou que antes de apresentar qualquer proposta é necessário proceder a uma avaliação, “nomeadamente das vantagens e desvantagens, antes de se poder tomar uma decisão.”

Ao discursar no evento, que decorreu na Universidade Católica de Angola na presença de membros do governo, académicos e estudantes, Gong Tao realçou o contributo prestado pela China no desenvolvimento de Angola.

“Desde o estabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, em 1983, e, especialmente, depois do fim da guerra civil, em 2002, Angola tem beneficiado de financiamentos que contribuíram para a reparação de 2800 quilómetros de linha férrea e 20 mil quilómetros de estradas, além da construção de 100 mil habitações sociais, 100 escolas e 50 hospitais”, disse.

O presidente da Câmara de Comércio Angola-China, Arnaldo Calado, anunciou na ocasião que quase uma centena de empresários angolanos participa na segunda edição da Feira Internacional de Importação da China, a decorrer em Xangai de 5 a 10 de Novembro. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH