Governo de Moçambique pretende a retoma do financiamento do FMI “o mais depressa possível”

13 September 2019

O governo de Moçambique “tudo fará” para chegar a um acordo de retoma de financiamento do Fundo Monetário Internacional “o mais depressa possível”, disse o ministro da Indústria e Comércio quinta-feira em Maputo.

Privado de fundos externos directos ao Orçamento do Estado desde Abril de 2016, na sequência do escândalo das dívidas ocultas, o Governo moçambicano quer entrar no próximo ciclo governamental de “cara lavada”, ou seja, com a situação desbloqueada, segundo o jornal moçambicano O País.

“Não temos vergonha de assumirmos isso (dívidas ocultas). Vamos honrar os nossos compromissos e esperamos o mais rápido possível a retoma do financiamento do Fundo Monetário Internacional. Estamos a trabalhar nisso”, disse Ragendra de Sousa, na sessão de lançamento da 17ª Conferência Anual do Sector Privado (CASP) 2020.

Referindo-se especificamente à CASP 2020, o ministro da Indústria e Comércio defendeu tratar-se de uma plataforma apropriada para que o Governo e o sector privado possam aprofundar o diálogo público/privado para a materialização de reformas legais e administrativas para a melhoria do ambiente de negócios no país.

Sob o lema, “Criando um ambiente de negócios para a diversificação da economia”, a CASP-2020 vai reunir cerca de dois mil empresários moçambicanos e do resto do mundo, com a finalidade de se debruçarem sobre o ambiente de negócios, promover investimentos e parcerias em prol do desenvolvimento económico de Moçambique. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH