China Road and Bridge Corporation constrói ponte metálica em Moçambique

18 September 2019

O governo de Moçambique vai elaborar um programa nacional de segurança de pontes a fim de garantir a longevidade e a resistência das mesmas aos fenómenos meteorológicos, disse o ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos.

João Machatine disse ainda que a combinação da destruição de pontes devido aos eventos meteorológicos extremos e ao excesso de carga constrangem gravemente a circulação rodoviária, acarretando custos enormes para a população e para o Orçamento do Estado.

O ministro procedia na altura à cerimónia de colocação da primeira pedra para a construção da ponte metálica sobre o rio Licungo, ligando os distritos de Namacurra e Maganja da Costa, na província central da Zambézia, segundo a agência noticiosa AIM.

Além das calamidades naturais, João Machatine apontou o crónico problema de excesso de carga que contribuiu negativamente para a destruição de 15 pontes no presente quinquénio, causando um prejuízo na ordem de 19 milhões de dólares.

Moçambique possui actualmente 1297 pontes, das quais 1115 (86%) são em betão, 143 (11%) são metálicas e 39 (3,0%) em madeira.

A construção da ponte metálica sobre o rio Licungo foi adjudicada à empresa a China Road and Bridge Corporation (CRBC), a mesma que construiu a ponte Maputo-Catembe e a estrada circular da capital moçambicana.

Com um custo estimado em 914 milhões de meticais, valor desembolsado através do Fundo de Estradas, a ponte, com 925 metros de comprimento e sete metros de largura e uma extensão de 2004 metros, será construída em 12 meses e permitirá o cruzamento de viaturas pesadas.

A anterior ponte foi destruída pelas cheias de 2015, situação que veio agravar-se com o ciclone Idai, em Março passado, que alargou o leito do Rio Licungo. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH