IGAPE de Angola prevê que segunda fase de venda de empresas industriais proporcione uma receita mais elevada

23 September 2019

A segunda fase do processo de venda de unidades industriais da Zona Económica Especial Luanda/Bengo, que envolve 25 empresas, deverá proporcionar um encaixe financeiro mais significativo do que o registado na primeira fase, em que atingiu 16 milhões de dólares, disse uma fonte do Instituto de Gestão e Participações dos Activos do Estado (IGAPE).

A primeira fase, que ficou concluída nos primeiros dias de Setembro com o anúncio dos vencedores, envolveu a venda de cinco unidades industriais daquela ZEE, tendo o Estado angolano conseguido um valor significativamente mais baixo do que os 67 milhões de dólares antecipados.

A fonte do IGAPE citada pelo Jornal de Angola disse que a primeira fase proporcionou uma “boa indicação” do que irá acontecer na segunda fase, tendo antecipado haver já muitas manifestações de interesse nas empresas que vão ser vendidas.

“Vamos ter muita concorrência”, assegurou, se bem que tenha reconhecido que o valor arrecadado na primeira fase ficou muito aquém da base de licitação das fábricas de produção de embalagens, produtos de higiene e detergentes, cimento cola, vidro e cobertores, compradas, respectivamente, pela Angoalissar, Azoria, Ecoindustry e Zeepack Angola.

A fonte do Jornal de Angola assumiu que a generalidade dos novos proprietários bateu-se para que o valor das fábricas levasse em conta o estado obsoleto dos equipamentos, muitos dos quais há cerca de dez anos inactivos e os investimentos a realizar para a sua recuperação ou substituição completa. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH