Governo de Cabo Verde atento à falência do operador turístico Thomas Cook

24 September 2019

O Governo de Cabo Verde está a acompanhar a situação de falência anunciada pelo operador turístico britânico Thomas Cook, garantiu o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, ao ser confrontado com os possíveis impactos dessa falência na actividade turística do arquipélago.

“Temos de continuar a apostar na competitividade do turismo, na sua diversificação, dos operadores e das fontes emissoras do turismo para que possamos ter um país mais flexível em relação aos choques que possam advir a qualquer momento em contexto de economia competitiva”, indicou Olavo Correia, acrescentando esperar que a situação da Thomas Cook tenha o “menor impacto possível” no turismo e economia do país.

O Reino Unido é um dos principais emissores de turistas para Cabo Verde, nomeadamente para as ilhas do Sal e da Boa Vista, sendo o operador turístico Thomas Cook uma das maiores empresas mundiais do sector.

A Thomas Cook é dona da companhia de seguros portuguesa Fidelidade que, por sua vez, detém 55,895% do capital da seguradora cabo-verdiana Garantia.

O turismo, com cerca de 20%, é o sector que mais contribui para a formação do Produto Interno Bruto de Cabo Verde, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH