Governo nomeia nova administração para conduzir Angola Telecom à privatização

10 October 2019

A criação de condições para viabilizar a empresa de telecomunicações Angola Telecom através da sua capitalização para posterior privatização esteve na base da decisão do Presidente angolano de nomear um novo Conselho de Administração presidido por Adilson dos Santos, noticiou o Jornal de Angola.

Em Janeiro, Adilson dos Santos substituiu Eduardo Domingos Sebastião no posto de coordenador da Comissão de Gestão que desde 2016 administrava a Angola Telecom, sendo um antigo quadro da empresa, onde já desempenhou as funções de administrador de sistemas de 2003 a 2007 e, desde 2017, desempenhava a função de membro da comissão que doravante passa a liderar.

A Angola Telecom deverá vir a ser privatizada em 2021, ao abrigo do previsto no Programa de Privatizações, que remete para o mesmo ano a venda a entidades privadas das empresas Bolsa de Valores e Dívida de Angola, Sonangalp, Angola Cable, Sonair, companhia aérea TAAG e o Banco Económico.

A empresa foi a primeira grande empresa pública a figurar nos planos de privatização do Governo, que decidiu passar 45% do capital social da Angola Telecom para interesses privados.

O Relatório e Contas relativo a 2018 divulgado pelo Instituto de Gestão dos Activos e Participações do Estado revela ter a empresa a Angola Telecom encerrado o ano com um resultado líquido do exercício negativo em 34 984 milhões de kwanzas, praticamente o dobro do registado um ano antes e um resultado operacional igualmente negativo de 1144 milhões de kwanzas.

A Angola Telecom tinha no final do ano passado activos no montante de 129 011 milhões de kwanzas, que compara com 140 757 milhões de kwanzas no final de 2017, capitais próprios negativos de 62 357 milhões de kwanzas (menos 19 347 milhões de kwanzas em 2017) e um passivo de 191 368 milhões de kwanzas (160 103 milhões de kwanzas). (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH