Grupo Mota-Engil ganha contratos em Angola e Moçambique

O grupo de construção civil Mota-Engil reforçou a sua carteira africana em 250 milhões de euros com a construção de uma barragem em Angola, projecto adjudicado por 160 milhões de euros e obras numa mina em Moatize, província de Tete, Moçambique, pela soma de 90 milhões de euros, informou o grupo em comunicado ao mercado.

Em Angola cinco das seis barragens que estavam a concurso foram adjudicadas a construtoras chineses, tendo sobrado a obra na província do Cunene, entregue ao consórcio em que a construtora portuguesa participa com 50%.

A barragem de Calacuve, na província do Cunene, faz parte de um programa de barragens, sistemas de captação de água e canais adutores, lançado pela Presidência angolana sob a designação “Programa de acções estruturantes de combate aos efeitos da seca.”

Em Moçambique, a Mota-Engil África vai executar serviços mineiros em Moatize.

A empreitada vale 100 milhões de dólares (90 milhões de euros) e inclui a perfuração, desmonte com explosivos, carga e transporte do carvão da mina.

Estes trabalhos, a executar em mina a céu aberto, terão um prazo de 60 meses e iniciam-se em Outubro corrente, informa ainda o comunicado divulgado quarta-feira.

A assinatura de um novo contrato em Moatize, diz a empresa, “suporta a expansão da actividade em toda a região de Tete” e reforça a posição da Mota-Engil “como empresa de referência no sector mineiro.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH