Angola pretende estar a produzir 14 milhões de quilates de diamantes até 2022

25 October 2019

Angola deverá estar a produzir 14 milhões de quilates de diamantes até 2022, em resultado do início da exploração da mina de Luaxe, na província da Lunda Sul, disse quarta-feira em Sochi, Rússia, o presidente da Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação e Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama).

Ganga Júnior, à margem do Fórum Económico Rússia-África, disse que o processo de construção das instalações necessárias para extrair e processar os diamantes aí existentes vai ser acelerado por se tratar de um quimberlito estratégico, indo numa primeira fase exigir um investimento estimado entre 250 milhões a 300 milhões de dólares.

Com uma reserva estimada em 350 milhões de quilates, o quimberlito, descoberto em 2009 depois de os trabalhos de prospecção geológica e levantamento geofísico da região terem tido início em 2008, ocupa uma área de 100 hectares, estando previsto que a exploração venha a atingir uma profundidade de 400 metros.

O presidente da Endiama adiantou que a produção na mina de Luaxe irá ser desenvolvida de forma faseada, de forma a que atinja uma capacidade de processamento de materiais semelhante à de Catoca, que conta actualmente com uma produção de quase 10 milhões de toneladas-ano.

A Endiama é uma das empresas de referência de Angola que consta do Programa de Privatizações recentemente aprovado pelo Governo, sendo que a sua venda a particulares, em percentagem ainda por definir, está prevista para 2022. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH