Novo consórcio constituído em Angola para explorar gás natural

29 October 2019

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) associou-se a cinco grupos petrolíferos para a constituição de um consórcio para explorar, desenvolver e produzir gás natural liquefeito em regime de partilha de custos, segundo informação oficial divulgada segunda-feira em Luanda.

O projecto, com um custo estimado em dois mil milhões de dólares, junta os grupos italiano ENI, britânico BP, francês Total e americano Chevron, que irão explorar recursos de gás natural nos blocos 1, 2, 3, 14 e 15, tendo por objectivo colmatar o declínio no fornecimento de gás à unidade de processamento do consórcio Angola LNG, situada na província do Zaire.

No consórcio, a Chevron tem uma participação de 31%, a BP 11,8%, Total 11,8%, ENI 25,6% e a Sonangol Pesquisa e Produção 18,8%.

A produção de gás natural liquefeito da Angola LNG oscila actualmente entre 800 milhões e 900 milhões de pés cúbicos por dia, estando previsto que a entrada em funcionamento do consórcio agora construído permita adicionar cerca de 420 milhões pés cúbicos de gás/dia a partir de 2022.

O presidente da ANPG, Paulino Jerónimo, disse na ocasião da assinatura dos acordos que a constituição do consórcio foi feita por convite e envolveu uma negociação directa com as empresas, que durou cerca de 10 meses, de Janeiro a Outubro. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH