Carteira de crédito malparado do BPC de Angola pode vir a aumentar

11 November 2019

A percentagem de crédito malparado no balanço do estatal Banco de Poupança e Crédito (BPC) pode vir a agravar-se com a conclusão de um trabalho de avaliação da qualidade dos activos, admitiu, em entrevista ao Jornal de Angola, o director de Particulares e Negócios daquela instituição financeira.

A conclusão do trabalho de avaliação poderá determinar um reforço das imparidades de crédito, disse ainda Pedro Nicolau, que recordou que o malparado existente na instituição está actualmente estimado em 73% de uma carteira de crédito de 1,1 biliões de kwanzas (cerca de 2340 milhões de dólares).

Para recuperar os valores em dívida e, consequentemente, melhorar a qualidade da carteira de crédito, disse, o BPC está a desenvolver, desde dia 7 de Novembro, uma campanha designada Renascer, que oferece, entre outros benefícios, o perdão de juros de mora até 100% a clientes particulares.

Para as pessoas colectivas, prosseguiu, o banco adopta, “grosso modo”, os mesmos critérios da campanha Renascer, procurando melhorar os termos e condições do crédito, adequando-os às actuais condições e capacidade de reembolso dos mutuários, permitindo-lhes, assim, cumprir o serviço da dívida e evitar o crescimento do crédito em mora.

Para garantir liquidez àquele banco público, o accionista Estado injectou, nos últimos cinco anos, 328 mil milhões de kwanzas (697 milhões de dólares), em títulos, com uma maturidade de 24 anos e taxa de juro de 5,00% ao ano.

O processo de transferência de créditos para a Recredit, instituição de gestão de activos, prossegue, segundo Pedro Nicolau, estando o BPC a preparar um conjunto de processos para transitarem para aquela entidade. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH