Angola e grupo italiano ENI colaboram em energias renováveis, saúde e pesquisa de hidrocarbonetos

15 November 2019

O Governo angolano assinou cinco acordos com o grupo petrolífero italiano ENI, com destaque para as energias renováveis, saúde e pesquisa de hidrocarbonetos, em cerimónia ocorrida quarta-feira em Roma, Itália, no âmbito da visita do Presidente João Lourenço à Cidade do Vaticano.

Além da assinatura dos documentos, dois dos quais ligados à actividade petrolífera, mais concretamente à exploração no bloco marítimo 1/14, onde o grupo ENI opera com uma participação de 35%, e no bloco Cabinda Centro, ambos na província de Cabinda, foi igualmente assinado um memorando de entendimento entre o presidente executivo da ENI, Claudio Descalzi, e representantes do Governo angolano, segundo a agência noticiosa Angop.

O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino de Azevedo, disse no final da cerimónia que os acordos relativos aos dois blocos de petróleo “contêm uma componente forte de transferência de tecnologia para a Sonangol (Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola).”

As partes assinaram ainda outros acordos fora da actividade de petróleos e gás, sendo um referente a um apoio ao Ministério da Saúde para a formação de especialistas de saúde e apetrechamento de centros de saúde e o outro uma parceria entre a Sonangol e a ENI, na área das energias renováveis.

“Assinou-se um contrato de concessão (…) para a construção de uma central fotovoltaica em Caraculo, na província do Namibe, e assim podermos também dar o nosso contributo à matriz energética nacional”, disse o ministro.

Foi, igualmente, assinado um acordo entre o Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos e a ENI, para um projecto de desenvolvimento, que irá iniciar-se na província de Cabinda e proporcionará cerca de 6500 postos de trabalho, através do fomento de pequenos empreendedores em diversas áreas, como a pesca, agricultura e formação técnico-profissional. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH