Orçamento de Estado para 2020 de São Tomé e Príncipe com metade da despesa coberta por receita interna

18 November 2019

A proposta de Lei de Orçamento Geral do Estado para 2020 de São Tomé e Príncipe, com despesas estimadas em 143 milhões de euros, prevê pela primeira vez que mais de 50% desse valor seja coberto por receitas internas, disse o ministro do Planeamento e Finanças.

Osvaldo Vaz, que na passada semana procedeu à entrega no parlamento da proposta de Lei e das Grandes Opções do Plano, adiantou estar previsto que as despesas sejam cobertas em 52,4% por receitas internas, sendo a percentagem restante coberta por receitas externas.

O ministro salientou ter o orçamento para 2020 sido elaborado com a “colaboração e apoio” do Fundo Monetário Internacional (FMI), particularmente no que diz respeito à receita e despesas correntes, segundo a Deutsche Welle.

Osvaldo Vaz justificou que o Governo pretende fazer uma “gestão financeira cautelosa e disciplinar o país financeiramente”, tendo sublinhado que as previsões constantes do orçamento foram feitas “com sustentabilidade, analisadas e discutidas com o FMI.”

O ministro disse que a taxa de inflação deverá situar-se em 5,4% em 2020, que o défice primário deverá manter-se em 2,1% do Produto Interno Bruto e que o país deverá dispor de divisas para cobrir três meses e meio de importações.

Osvaldo Vaz não deu qualquer indicação sobre a previsão de crescimento económico para 2020, tendo-se limitado a dizer que a taxa [de crescimento económico] até ao final de 2019 será superior à registada no ano passado. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH