Estrada em Moçambique que liga a Beira ao Zimbabué terá portagens a partir de 1 de Dezembro

25 November 2019

A cobrança das taxas de portagem na Estrada Nacional Número Seis (EN6), que estabelece a ligação entre a cidade portuária da Beira e a vila fronteiriça de Machipanda, na fronteira com o Zimbabué, tem início dia 1 de Dezembro próximo, anunciou o ministro das Obras Publicas, Habitação e Recursos Hídricos de Moçambique.

João Machatine, momentos após ter inaugurado o novo edifício da delegação provincial do Fundo de Estradas do Niassa, em Lichinga, recordou que a EN6 é uma das estradas com maior tráfego a nível nacional, mas, ao mesmo tempo, e associado a este elevado número de tráfego está a sua degradação.

Com a cobrança das taxas de portagem, adiantou o ministro citado pela agência noticiosa AIM, pretende-se garantir a manutenção da estrada e desonerar o Estado, no que diz respeito aos investimentos que tem feito no sector de estradas.

Com cerca de 287 quilómetros de extensão, a EN6 esteve em obras de reconstrução e alargamento desde Abril de 2015, numa empreitada confiada à empresa chinesa Anhui Foreign Economic Construction (Group) Co., Ltd.

Com um custo de 410 milhões de dólares, financiados pelo Banco de Exportações e Importações da China e pelo governo de Moçambique, as obras deveriam ter terminado a 31 de Março de 2018, tendo sofrido um atraso devido à falta de fundos para realojar as famílias e os estabelecimentos comerciais existentes na zona de Inchope.

No âmbito desta intervenção, foram construídos três postos de portagem, dois dos quais na província de Sofala (Dondo e Nhamatanda) e o terceiro em Manica (Vanduzi), não tendo o ministro divulgado qual o valor das portagens a serem cobradas ao longo da EN6. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH