Porto de Pemba, norte de Moçambique, recebe Código SPS da Organização Marítima Internacional

25 November 2019

O porto de Pemba dispõe já de capacidade de resposta contra situações relacionadas com roubo e pirataria, acesso de pessoal não autorizado/clandestino, embarque de droga e ataques físicos às suas instalações, disse o delegado do maior e principal porto da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Arnaldo Manjate, no decurso de uma reunião entre o governador da província de Cabo Delgado, Júlio Parruque e os gestores e agências utilizadoras das instalações portuárias, disse que tal facto resulta da atribuição do Código SPS, que tem por objectivo estruturar a avaliação de ameaças e definir acções de protecção apropriadas às embarcações e terminais portuários.

Manjate, citado pelo matutino Notícias, de Maputo, disse ainda que a estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique, dono da infra-estrutura, investiu, nos últimos tempos, cinco milhões de dólares em obras de recuperação e aquisição de equipamento, com o objectivo de torná-la mais eficiente na satisfação dos interesses dos clientes.

Dados estatísticos indicam que a carga manuseada anualmente no porto de Pemba não vai para além de 180 mil toneladas, contra as 470 mil toneladas que constituem a sua capacidade instalada.

Tal deve-se ao facto de maior parte dos agentes económicos da província de Cabo Delgado realizarem as suas transacções com o exterior, em particular as importações, a partir do porto de Nacala, na província de Nampula.

A decisão está relacionada com os valores altos praticados pelo porto de Pemba pela cobrança dos fretes, sendo que em Nacala um contentor recebido ou expedido paga 600 dólares, um terço do que é exigido pela sociedade gestora do porto de Pemba. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH