Lista negra da União Europeia inclui companhias aéreas de Angola e de São Tomé e Príncipe

Todas as companhias aéreas de Angola, à excepção da transportadora aérea de bandeira e da Heli Malongo, fazem parte da “lista negra” das 115 companhias proibidas de voar para a União Europeia, segundo a lista revista segunda-feira divulgada em Bruxelas.

As companhias em questão são a Aerojet, Guicango, Air Jet, Besteflya Aircraft Management, Heliang, SJL e Sonair, esta última propriedade da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol).

São Tomé e Príncipe tem duas companhias na “lista negra”, a saber a Africa’s Connection e a STP Airways.

«A decisão  ilustra os esforços contínuos para oferecer o mais alto nível de segurança, não só para os viajantes europeus, mas também para os viajantes de todo o mundo, porque a segurança na aviação não conhece fronteiras ou nacionalidades», afirmou Adina Vălean, comissária europeia para os Transportes.

Entre as 115 companhias banidas encontram-se empresas de países como Moldávia, República do Congo, Eritreia, Iraque, Afeganistão, Serra Leoa e Sudão, entre outros.

Do total, seis integram a lista a título individual, por motivos relacionados com problemas de segurança das próprias transportadoras, sendo que as restantes 109 são mencionadas no documento por controlo insuficiente pelas respectivas autoridades nacionais. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH