São Tomé e Príncipe quer aumentar cooperação com a República Popular da China

São Tomé e Príncipe quer aumentar a cooperação com a República Popular da China em áreas como a energia, construção de infra-estruturas, pesca, saúde ou cultura, disse o presidente da Assembleia Nacional são-tomense, Delfim Neto, que efectua uma visita de seis dias ao país.

O presidente do parlamento de São Tomé e Príncipe prestava declarações no final de um encontro com o seu homólogo chinês, Li Zhanshu, que afirmou que a China está disposta a trabalhar com São Tomé e Príncipe no apoio aos interesses fundamentais dos dois países.

Delfim Neves, citado pela agência noticiosa Xinhua, disse que São Tomé e Príncipe “adere de forma resoluta” ao princípio “Uma só China”, o que pretende evidenciar que Taiwan faz parte da República Popular da China.

Wang Cheng, vice-presidente do Congresso Nacional do Povo ou Assembleia Popular Nacional deslocou-se em Junho passado em visita oficial a São Tomé e Príncipe, tendo nessa ocasião sido subscrito um acordo visando o reforço de laços bilaterais, nomeadamente parlamentares, entre os dois países.

Após o restabelecimento de relações diplomáticas a 26 de Dezembro de 2016, os governos dos dois países acordaram no aprofundamento das relações bilaterais.

Na sequência da reactivação de laços diplomáticos, São Tomé e Príncipe foi igualmente admitido no Fórum de Macau, um organismo de intercâmbio económico e comercial da China com os países de língua oficial portuguesa.

Os dados mais recentes relativos ao comércio entre os dois países divulgados pelo Fórum de Macau indicam terem a China e São Tomé e Príncipe comerciado bens no valor de 5,43 milhões de dólares no período de Janeiro a Agosto de 2019. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH