Sociedade Mineira de Catoca reduz contribuição para a receita fiscal de Angola em 2019

12 December 2019

A Sociedade Mineira de Catoca deverá este ano contribuir com 90 milhões de dólares para a receita fiscal de Angola, uma quebra de 58% face aos 217 milhões de dólares registados em 2018, segundo um comunicado divulgado pela que é a maior empresa a operar no sector dos diamantes em Angola.

O documento divulgado no final do II Conselho Alargado de Direcção informa que a facturação da empresa deve encerrar o ano com cerca de 700 milhões de dólares, valor inferior ao contabilizado em 2018, mas que não vem descriminado.

A redução na facturação prevista para este ano foi justificada pela administração da sociedade com a quebra dos preços dos diamantes nos mercados internacionais, na ordem de 26%, percentagem que se mantém desde Outubro de 2018.

O comunicado acrescenta que os números alcançados ultrapassam as previsões iniciais, uma vez que foi possível compensar a queda dos preços nos mercados internacionais com um aumento da produção.

“Além do aumento da produção, obteve-se uma redução considerável dos custos de produção, contrariando a lei natural do sector, segundo a qual quanto maior a profundidade da mina maiores são os custos de produção”, refere a nota divulgada.

A Sociedade Mineira de Catoca tem como accionistas a estatal Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação & Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama) e o grupo russso Alrosa, com participações iguais de 41%, estando os restantes 18% nas mãos da Lev Leviev International Holding B.V.

Com sede no município de Saurimo, província da Lunda Sul, a empresa é o quarto maior produtor mundial de diamantes e líder angolano com uma quota de 86,3% em volume e 60,3% em valor monetário. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH