China aumenta importações de carne de porco e o Brasil colhe benefícios

10 January 2020

A China vai aumentar as importações de carne de porco e libertar parte da reserva estatal para garantir oferta e preços estáveis antes do feriado do Ano Novo Lunar, anunciou quinta-feira em Pequim o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Geng Shuang.

O país foi afectado a partir de 2018 por um surto de peste suína africana, que causou a morte de uma parte significativa das varas, tendo um dos países beneficiados sido o Brasil, que em 2019 aumentou as suas exportações para a China.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) salientou ter sido aquela doença o grande factor impulsionador do aumento das exportações para a Ásia em 2019, com a China, que assumiu o primeiro lugar nas importações logo no mês de Janeiro, comprado 248,8 mil toneladas, um aumento de 61% em termos anuais.

O Vietname, também afectado pela peste suína africana, aumentou suas importações em 82,6%, com um total de 13,54 mil toneladas em 2019.

“A crise sanitária na Ásia reconfigurou o comércio internacional de proteína animal.  A China, que foi o país mais afectado, aumentou a sua capacidade de importação de carne suína brasileira com a homologação de novos entrepostos frigoríficos em Novembro de 2019. Este é um dos factores que devem favorecer o aumento das vendas brasileiras em 2020, já que os indicadores de instituições como o Rabobank demonstram que este quadro deve perdurar no mínimo ao longo do ano”, disse Ricardo Santin, director-executivo da ABPA.

A empresas brasileiras produtoras de carne de porco exportaram em 2019 mais de 750 mil toneladas, um aumento anual de 16,2% quando comparado com as 646 mil toneladas contabilizadas em 2018.

A associação realçou que apenas em Dezembro foram embarcadas 76 mil toneladas, quantidade que representa um crescimento de 35,1% em termos homólogos e é o maior embarque mensal já registrado na história do sector. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH