Introdução de taxa turística em Macau revela divergências entre inquiridos

10 January 2020

Um estudo de viabilidade sobre a cobrança de uma taxa turística em Macau revelou divergências entre os inquiridos, com os residentes a mostrarem-se favoráveis à sua introdução e os operadores turísticos a manifestarem-se contra, informou a Direcção dos Serviços de Turismo (DST).

O estudo, que teve por base as respostas a 14 900 questionários, revelou que 95% dos residentes são favoráveis à introdução de uma taxa, contra 5,0% que manifestaram a sua oposição, sendo que no caso dos operadores turísticos 20% é a favor e 80% contra.

Dos visitantes inquiridos, 50,6% afirmou que se a taxa for introduzida tal decisão afectará a vontade de visitar Macau, 25,2% respondeu que tal dependerá das circunstâncias concretas para decidir se terá ou não influência e apenas 24,2% disse que não afectará.

O comunicado recorda que o governo Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) tem mantido uma atitude aberta em relação à possibilidade de cobrança de uma taxa turística e acrescenta que a DST lançou o estudo de viabilidade da cobrança de uma taxa turística com o objectivo principal de recolher, de forma sistematizada, através de uma sondagem, opiniões dos residentes, operadores turísticos e visitantes.

De entre os visitantes inquiridos que concordam com a cobrança de taxa turística, 32,2% consideram que o valor deve ser de 100 a 199 patacas (12,5 a 25 dólares), seguindo-se 21,9% que consideram que o valor deve ser de 0 a 99 patacas (0 a 12,5 dólares).

Por outro lado, uma parte significativa dos visitantes (30,5%) acha que uma taxa turística de 0 a 99 patacas já poderia afectar o seu interesse em vir a Macau, seguindo-se os que (26,4%) acham que uma taxa turística de 100 a 199 patacas afectaria o seu interesse em vir a Macau. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH