Empresa da China constrói nova base do Brasil na Antárctica

17 January 2020

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, procedeu quarta-feira à inauguração da nova base brasileira de pesquisa científica na Antárctica, construída no mesmo local da que foi destruída pelo fogo em 2012 devido a um derrame de combustível, noticiou a imprensa brasileira.

A inauguração da Estação Antárctica Comandante Ferraz, localizada na Ilha George, no arquipélago de Shetland do Sul, que ocorreu um dia mais tarde do que o previsto devido às condições atmosféricas, custou ao governo federal brasileiro cerca de 100 milhões de dólares, segundo a Agência Brasil.

Reconstruída pela China National Import & Export Corp (CEIEC), com sede em Pequim, uma empresa estatal com contratos de defesa, a nova base ocupa 4500 m2 e possui 17 laboratórios, acomodações para 64 pessoas e um sector técnico para produção de energia e tratamento de resíduos.

Além de reforçar as medidas de segurança para impedir a propagação de incêndios, a base foi projectada para suportar ventos de até 200 km por hora e as densas camadas de neve que se acumulam durante o Inverno.

O Brasil aderiu em 1975 ao Tratado da Antárctica, assinado em Washington em 1959 e válido até 2041, e desenvolve actividades científicas no local desde 1982, um requisito para os países membros signatários do documento.

O programa Antárctico do Brasil teve início em 1982, quando a Marinha do Brasil adquiriu um quebra-gelo dinamarquês e fez a sua primeira expedição ao continente gelado.

A Antártica é um continente com uma superfície de 14 milhões de km² e está quase completamente coberta por enormes glaciares, excepção feita a algumas zonas de elevado declive nas cadeias montanhosas e à extremidade norte da península Antárctica. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH