Governo de Angola resolve transferências em atraso, afirma ministro Manuel Nunes Júnior

21 January 2020

Angola já conseguiu resolver todas as transferências em atraso para pagamento de bens e serviços ao exterior, garantiu segunda-feira, em Londres, o ministro de Estado e da Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, citado pela agência noticiosa Angop.

O ministro, que não quantificou o montante pago pelo governo em dívidas ao exterior, disse tal facto ter sido conseguido nos últimos dois anos (2018 e 2019), sublinhando que hoje em dia é possível os investidores fazerem transferências dos dividendos na altura certa.

Manuel Nunes Júnior, ao prestar declarações à margem da cerimónia de abertura da Cimeira de Investimento Reino Unido-África, onde representa o Presidente João Lourenço, voltou a garantir que todos os problemas de repatriação de dividendos, em Angola, “estão resolvidos.”

“Actualmente, os importadores, todos aqueles que precisam de adquirir no exterior bens para conseguir produzir no país, conseguem comprar as divisas de que necessitam, quando necessitam, devido às reformas introduzidas no mercado cambial”, disse.

O ministro disse ainda que a actuação do governo angolano permitiu fazer com que as divisas passem a ter o seu valor verdadeiro, “o que constitui um sinal importante para o investidor” e comparou o afastamento entre o câmbio no mercado oficial e o paralelo, que em 2017 era de 150%, com o actual que não excede 23% relativamente ao dólar e 18% ao euro.

A delegação de Angola na Cimeira de Londres inclui, além de Manuel Nunes Júnior, a ministra das Finanças, Vera Daves, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, o governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano e o embaixador de Angola no Reino Unindo, Geraldo Sachipengo Nunda. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH