Trabalhadores terão prioridade na privatização da estatal angolana Sonangol

22 January 2020

Os trabalhadores da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) terão prioridade no processo de privatização da empresa, a ser feito através de uma Oferta Pública de Venda em bolsa de valores, disse terça-feira, em Londres, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos.

Diamantino Azevedo disse que a ideia actual é dispersar 30% das acções representativas do capital social da estatal, “estando previsto dar prioridade aos trabalhadores da empresa, seguidos dos cidadãos angolanos e de outros investidores.”

O ministro falava no Instituto Real de Relações Internacionais Chatham House, onde respondia a uma pergunta após a palestra do ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, intitulada “Angola e compromisso com a economia: Avaliação do progresso das privatizações e outras reformas económicas.”

A Oferta Pública de Venda da Sonangol deverá culminar um programa de privatização de cerca de 125 empresas até 2022 proposto pelo governo.

Os dois ministros estiveram em Londres a representar o Presidente João Lourenço na primeira Cimeira de Investimento Reino Unido-África, na segunda-feira, sendo que a delegação angolana incluiu a ministra das Finanças, Vera Daves, o governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano e o embaixador de Angola no Reino Unindo, Geraldo Sachipengo Nunda. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH