ANPG de Angola vai licitar 50 novos blocos para prospecção petrolífera

7 February 2020

A Agência Nacional de Petróleos, Gás e Biocombustíveis (ANPG) prevê licitar, até 2025, 50 novos blocos para exploração de petróleos em Angola, no âmbito da estratégia de relançamento e aumento da produção petrolífera nacional, disse quinta-feira em Angola o presidente da instituição.

Paulino Jerónimo sublinhou que a ideia não é licitar todos os blocos ao mesmo tempo, tendo em conta as negociações a serem desenvolvidas directamente com algumas empresas, à semelhança dos blocos 46 e 48, que vão perfurar um poço de exploração dentro de dois ou seis meses no máximo.

“Só depois da perfuração é que se pode dizer se houve sucesso ou não, sendo que em caso afirmativo começa-se então o processo de exploração”, disse.

Por outro lado, frisou a necessidade de se reduzir as paragens não planificadas no segmento da produção petrolífera, tendo em conta que durante 2019 o país registou perdas de produção de cerca de 35 milhões de barris de petróleo em 2019, devido a paralisações não planificadas e mau funcionamento dos equipamentos.

As paralisações resultaram em perdas de cerca de 90 mil barris de petróleo por dia, um cenário que se pretende inverter, com uma redução até 50 por cento.

Actualmente existem mais de 10 blocos de exploração de petróleo no país.

Em 2019, a ANPG pôs a concurso público internacional 10 blocos das bacias do Namibe e Benguela, onde se estima a existência de reservas na ordem dos sete mil milhões de barris de petróleo.

O programa de licitação de novas concessões acontece numa altura em que a produção do país está em declínio com uma média diária de 1,4 milhões de barris/dia, quantidade que confere a Angola o estatuto de segundo maior produtor da África a sul do Saara, atrás da Nigéria, com 1,7 milhões de barris/dia. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH