Bolsa de Mercadorias de Moçambique prevê intermediar venda de 10 mil toneladas de produtos

14 February 2020

A Bolsa de Mercadorias de Moçambique (BMM) prevê intermediar este ano a comercialização de 10 mil toneladas de produtos diversos, disse a presidente da instituição ao matutino Notícias, de Maputo.

Vitória Paulo disse que o montante previsto para este ano representa um aumento de 14,9% relativamente às 8700 toneladas intermediadas em 2019, ano em que não foi possível alcançar a meta previamente estabelecida de 9600 toneladas.

A meta estabelecida para este ano, “ambiciosa”, baseia-se em previsões de aumento da produção e no facto de se estar a verificar um interesse cada vez maior dos produtores em depositar os produtos nos complexos geridos pela Bolsa de Mercadorias.

À medida que os produtores individuais se aperceberam da existência de infra-estruturas registou-se um aumento na utilização dos silos, o mesmo tendo acontecido com algumas empresas”, disse a presidente da bolsa, que reconheceu estar-se, no entanto, ainda muito longe do objectivo de vir a gerir milhões de toneladas.

Vitória Paulo recordou ter a instituição que dirige recebido solicitações de compradores estrangeiros que pretendiam adquirir para mercados do Médio Oriente 10 mil toneladas de gergelim, 50 mil de soja e 200 mil toneladas de milho amarelo.

Todos estes pedidos acabaram por não ser satisfeitos devido à sua exiguidade no mercado doméstico”, disse.

A presidente da BMM disse ainda que as vantagens da comercialização através de uma bolsa derivam do facto de se tratar de um mercado bem organizado, em que os preços praticados são transparentes e justos “na medida em que as partes negoceiam tendo por base um preço de referência.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH