Abundância de pássaros raros em Angola favorece aviturismo

21 February 2020

A abundância de espécies de pássaros raras na região da Tundavala, município do Lubango, é um chamariz para que observadores de aves internacionais visitem Angola e promovam o aviturismo na província da Huíla, disse o administrador de uma empresa turística.

Noam Shany, administrador da empresa espanhola Promised Land Ventures (PLV), disse ser possível encontrar naquela região aves raras e endémicas, como sejam as do tipo “White-headed barbet”, “Angola cave chat”, “Angola waxbill”, “Harter’s camaroptera”, “Angola slaty flycatcher”, “Oustalet’s sunbird e Swierstra’s francolin.”

Disse ainda existirem no mundo mais de 120 milhões de observadores de aves, muitos dos quais são coleccionadores e vão precisar de visitar Angola para poderem completar as suas colecções.

“Angola não é um país rico em monumentos urbanísticos turísticos, mas possui um forte potencial para desenvolver o ecoturismo. Angola é perfeita para a realização do turismo da natureza e nós associamos o continente igualmente favorável para tal”, reforçou, no final de uma acção de formação de 13 guias turísticos.

Além das sete espécies endémicas, existem apenas em Angola 15 pássaros raros, bem como 31 espécies com distribuição limitada, que ocorrem só em Angola e na República Democrática do Congo, consideradas em perigo de extinção, além de outras 962 espécies.

O projecto “Apostar no aviturismo” formou já um total de 28 jovens.

O projecto está inserido num memorando de entendimento assinado entre o Ministério do Turismo e a empresa espanhola PLV, numa iniciativa que começou a ser executada a 08 de Agosto de 2019. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH