Brasil pode perder 15% das exportações para a China em 2020

21 February 2020

A trégua comercial entre os Estados Unidos e a China e o surto do vírus Covid-19 neste último país podem fazer com que o Brasil perca 15% das exportações que actualmente envia para a China, segundo o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getúlio Vargas.

O boletim do Indicador do Comércio Exterior (Icomex) daquele instituto revela que aqueles dois factores, associados ao efeito da situação económica da Argentina, “sinalizam e reforçam a tendência de redução do excedente da balança comercial em 2020.”

Lia Valls, economista do Ibre, diz que a previsão de perda é ainda preliminar, pois ainda não se sabe quanto tempo irá demorar para se garantir o controlo da epidemia de coronavírus, estando ainda por ajuizar qual será o efeito concreto da epidemia na economia da China.

A economista salientou que as previsões para o crescimento económico da China este ano oscilam entre 5% e 6%, devido precisamente à epidemia que teve início na cidade de Wuhan, província de Hubei.

A epidemia, em conjugação com a trégua comercial entre os Estados Unidos e a China, aponta para uma queda dos preços das matérias-primas nos próximos meses e um recuo nas importações da China”, pode ler-se no boletim.

O boletim destaca que a balança comercial brasileira registou défice de 1700 milhões de dólares em Janeiro, sendo que as trocas comerciais com a China resultaram num saldo negativo de 1570 milhões de dólares.

As exportações brasileiras para a China caíram 8,8% em valor, com quedas de 2,5% na quantidade e de 6,4% nos preços, tendo no caso das importações havido um aumento de 3,4% em quantidade mas uma diminuição de 3,8% nos preços. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH