Angolana Sonangol encerra 2019 com dívida líquida de 1254 milhões de dólares

28 February 2020

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) tinha uma dívida líquida de 1254 milhões de dólares no final de 2019, uma redução de 53% face ao montante contabilizado um ano antes, disse quinta-feira em Luanda o presidente da estatal.

Sebastião Martins, citado pela agência noticiosa Angop, disse ainda que o passivo da empresa, de 5,034 mil milhões de dólares, é sustentável, estando além disso relacionada com o recurso ao financiamento de cerca de dois mil milhões de dólares.

O presidente da estatal garantiu ter a empresa reduzido em 2019 os custos operacionais em cerca de 5,0%, situação que permitiu atingir um EBITDA positivo de 5,249 mil milhões de dólares.

No decurso da conferência de imprensa realizada na capital angolana, Sebastião Martins informou ter a empresa investido dois milhões de dólares no ano transacto na melhoria do sistema informático e das tecnologias de informação.

Disse ainda que o nível de segurança do sistema informático era muito baixo, nível 1,5 num máximo de cinco, facto que permitiu um ataque que teve lugar no dia 5 de Junho de 2019.

“Como consequência, informações do sistema de facturação desapareceram, o que obrigou a empresa a investir para aumentar o nível de segurança do sistema informático, que passou do nível 1,5 para 2,5, embora a meta seja atingir o nível 4”, disse o presidente da Sonangol.

No mesmo encontro com a imprensa, Sebastião Martins adiantou pretender a administração fazer com que a Sonangol seja uma empresa de referência a nível do continente africano até 2027 e passar a responsável por 10% da produção nacional, passando dos actuais 27 mil barris por dia para 120 mil.

Actualmente a petrolífera nacional detém uma quota de produção de 2,0% do total da produção do país, estimada em 1,4 milhões de barris/dia, mas a nova gestão pretende, com base no Plano Estratégico de Exploração e Produção 2020-2027, alterar o quadro. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH