Governo de Moçambique impõe quarentena para cidadãos da China e de cinco outros países

O governo de Moçambique vai colocar em quarentena os cidadãos da China bem como da Itália, Coreia do Sul, Irão, Alemanha e França que pretendam entrar no país, anunciou quinta-feira em Maputo o Ministério da Saúde.

O comunicado, que refere que as pessoas abrangidas terão de ficar em casa e não nas instalações de saúde, a menos que apresentem sintomas e necessitem de tratamento, sendo que a medida afecta os países que tenham mais de mil casos de COVID-19 e onde se registem mais de 100 infecções diárias.

As autoridades moçambicanas da saúde e da migração estão igualmente a reforçar medidas de vigilância e o rastreio de cidadãos nacionais e estrangeiros que entrem no país através das fronteiras terrestres e por via aérea, provenientes sobretudo da vizinha África do Sul, onde há vários casos confirmados.

Em Angola, mantém-se a proibição de entrada no país de cidadãos da China, Itália, Coreia do Sul e Irão, depois de terem sido retirados da lista inicial os cidadãos de três países africanos onde foi reportado apenas um caso.

Em São Tomé e Príncipe, o governo decidiu proibir viagens oficiais dos dirigentes e funcionários do Estado para países com uma prevalência elevada do vírus Covid-19 [coronavírus].

Os cidadãos da China, Coreia do Sul, Itália, Irão, Nigéria, Argélia e Senegal mantém-se impedidos de entrar em São Tomé e Príncipe. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH