Produção petrolífera do grupo BP em Angola em queda desde 2017

20 March 2020

A produção petrolífera do grupo BP em Angola caiu para 115 mil barris por dia em 2019, depois de se ter situado em 147 mil e 192 mil barris por dia em 2018 e 2017, respectivamente, uma queda de 21,7% em termos anuais e de 40% em dois anos, segundo a página electrónica Energy Voice.

“Este declínio sugere que a produção do grupo em Angola reduzir-se-á este ano para menos de 100 mil barris por dia”, pode ler-se.

Afirma ainda que o grupo britânico está a trabalhar num conjunto de projectos a fim de aumentar a produção naquele país, mas acrescenta que os seus resultados não serão visíveis este ano.

Os trabalhos no projecto Zinia 2, operado pelo grupo francês Total, no Bloco 17, de que a BP faz parte, iniciaram-se em 2018, devendo produzir as primeiras ramas em 2021, devendo o grupo britânico iniciar este ano o projecto Platina, no qual funciona como operador.

O Zinia 2 deverá garantir 40 mil barris de petróleo por dia, não tendo a BP fornecido dados sobre a produção do Platina, estimado pela Bernstein Research em cerca de 60 mil.

A Energy Voice recorda ter-se o grupo BP associado em finais de Outubro de 2019 a um novo consórcio constituído em Angola pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis e cinco grupos petrolíferos para explorar gás natural, que visa fundamentalmente fornecer quantidades adicionais de gás à Angola LNG a partir de 2023.

Números divulgados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) indicam que a produção petrolífera de Angola foi de 1,634 milhões de barris por dia em 2017, de 1,505 milhões de barris por dia em 2018 e 1,401 milhões de barris por dia em 2019, uma quebra de 14,2% ao longo de dois anos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH