Província de Tete, Moçambique, contém 700 milhões de toneladas de minérios de ferro e de vanádio

20 March 2020

A província de Tete, centro de Moçambique, dispõe de uma reserva de cerca de 700 milhões de toneladas de minérios de ferro e de vanádio devidamente comprovados ao longo do planalto de Angónia-Marávia, disse o director provincial dos Recursos Minerais e Energia.

Grácio Cune disse ao matutino Notícias, de Maputo, estarem em curso operações de pesquisa geológica para a definição, certificação e comprovação das quantidades dos minerais de platina e zircão na província de Tete.

O geólogo adiantou ao jornal que a província contém ainda ouro, pedras preciosas e semi-preciosas, manganês, zinco, entre outros minerais, como rochas ornamentais, calcários, brita, areias e argilas.

O pico de prospecção mineral ocorreu na província, segundo Grácio Cune, em 2013, com cerca de 150 máquinas de perfurações envolvidas, operando com licenças em 372 títulos mineiros.

O director provincial dos Recursos Minerais e Energia adiantou ter-se registado em 2019 um decréscimo nas actividades de prospecção de carvão mineral, para 235 títulos, “motivado, eventualmente, pela quebra nos preços deste mineral nos mercados internacionais, o que atingiu as empresas envolvidas no sector.”

A abertura da primeira mina moderna a céu aberto para a extracção de carvão deu-se em 2011 nas áreas entregues em concessão à Vale Moçambique, ao longo da bacia carbonífera de Moatize para dois anos depois, em 2013, se ter registado um aumento de pedidos de novas licenças para o carvão mineral e metais.

“Foi nessa altura que registámos muitos pedidos de emissão de concessões mineiras e a abertura da mina de ouro no distrito de Macanga e atingimos o pico de empregabilidade de cerca de 9000 trabalhadores nacionais”, referiu. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH