Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe sem casos conhecidos de Covid-19

A Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe parecem ser os únicos países de língua oficial portuguesa em que até à data não se registaram casos de Covid-19, segundo os dados mais recentes compilados pela universidade americana Johns Hopkins.

O caso mais grave no mundo de língua portuguesa é o Brasil, onde há 1593 pessoas infectadas e já se registaram 25 óbitos, seguido de Portugal, com maior número de casos – 1600 – mas menor número de óbitos – 14, ainda segundo os mesmos dados.

Timor-Leste foi domingo adicionado à lista de países quando a ministra da Saúde, Élia dos Reis Amaral, anunciou o primeiro caso, “uma pessoa que veio do estrangeiro e está em isolamento e quarentena.”

O govero timorense anunciou, entretanto, o encerramento de todas as escolas, desde o ensino pré-escolar até ao secundário e técnico profissional, por, pelo menos, uma semana a partir de hoje, segunda-feira, “indo esta decisão ser reavaliada no final da semana.”

“Faremos isso em todos os níveis. No total são mais de 300 mil crianças em todo o país”, notou, explicando que o “feriado extraordinário” se aplica às escolas públicas e privadas e que uma decisão de sobre o ensino superior caberá ao ministro da tutela.

Em Cabo Verde são três os casos, todos na ilha da Boavista, onde também se encontra o turista inglês que foi o primeiro caso confirmado de infecção em Cabo Verde, colocando um segundo hotel em quarentena.

O ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, disse que um dos novos infectados é um indivíduo que entrou em contacto com o primeiro caso, o turista inglês de 62 anos, sendo o terceiro caso positivo uma turista dos Países Baixos.

Angola tem dois casos confirmados de Covid-19, tendo a ministra da Saúde, Sílvia Lutukuta, indicado que os dois casos, dois cidadãos angolanos de 36 e 38 anos, respectivamente, com residência permanente em Luanda mas regressados recentemente de Portugal, estão sob vigilância médica.

Ao indicar que os dois cidadãos “já estão a ser controlados nas unidades sanitárias”, a ministra informou que eles regressaram de Portugal nos dias 17 e 18 de Março, respectivamente, e estão a ser devidamente seguidos, com a possibilidade de fazerem a quarentena domiciliar, sem direito a visitas.

Moçambique passou a ser o 38º país afectado pelo novo vírus corona, tendo o ministro da Saúde revelado tratar-se de um cidadão moçambicano de 75 anos proveniente do Reino Unido, um dos 186 países afectados em todo o mundo.

A estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique (CFM) anunciou ter a administração decidido cancelar todos todos os comboios de transporte de passageiros de longo curso, uma medida que entra em vigor hoje, segunda-feira.

Um comunicado divulgado pela CFM refere que a decisão visa reforçar as medidas de prevenção contra o novo vírus corona (Covid-19), anunciadas pelo Presidente da República na sexta-feira última, como sejam a suspensão “da emissão de vistos de entrada em Moçambique” e o cancelamento de “todos os já emitidos” e o “encerramento de todas as escolas públicas e privadas, do ensino pré-escolar ao ensino superior” a partir de dia 23 de Março.

Os dados divulgados indicam terem-se registado até à data 335 997 pessoas infectadas, de que resultaram 14 641 óbitos, sendo os casos mais relevantes a Itália, com 5476 óbitos, China, onde o vírus surgiu em Dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, província de Hubei, com 3153 óbitos, a Espanha com 1772 óbitos e o Irão com 1685 óbitos. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH