Macau determina restrições para entrada a residentes da China continental, Hong Kong e Taiwan

24 March 2020

O Chefe do Executivo de Macau, Ho Iat Seng anunciou hoje mais restrições fronteiriças, nomeadamente com a proibição de entrada no território dos residentes da China continental, de Hong Kong e de Taiwan que tenham estado em qualquer outro país ou região 14 dias antes.

As novas medidas vão entrar em vigor às 00:00 de quarta-feira.

O chefe do governo anunciou igualmente a suspensão de todos os voos de ligação no Aeroporto Internacional de Macau.

Ho Iat Seng disse também que “os serviços de Saúde vão emitir um aviso no sentido de que todas as pessoas que tenham visitado Hong Kong ou Taiwan 14 dias antes ficam sujeitos a observação médica e em local designado pela autoridade sanitária.”

Os residentes de Macau passam também a ser sujeitos a quarentena se vierem de Hong Kong e Taiwan. O mesmo acontece com os residentes da China continental, Hong Kong e Taiwan, mas só se não tiverem estado em outro país estrangeiro 14 dias antes.

Ho Iat Seng disse estar certo que com estas medidas “a situação vai melhorar” mas admitiu que “não é possível prever a futura situação. Ela é imprevisível.”

Ho Iat Seng elogiou a forma como a população de Macau tem dado resposta às medidas do governo e pediu que todos sejam “mais optimistas e tolerantes.”

As autoridades de Macau anunciaram na segunda-feira mais um caso importado ade contágio da Covid-19, elevando o número de infectados para 25 desde o início do surto do vírus corona.

Trata-se do 15.º caso importado detectado pelas autoridades em pouco mais de uma semana, depois de Macau ter estado 40 dias sem identificar qualquer infecção.

Ho Iat Seng disse que a situação estava controlada, lembrando que os novos casos são todos importados e que Macau tem conseguido evitar a contaminação local.

Macau registou uma primeira vaga de dez casos em Fevereiro, que já tiveram alta hospitalar. Após a detecção de novos casos, todos importados, as autoridades reforçaram medidas de controlo e restrições fronteiriças.

Desde quinta-feira só podiam entrar no território residentes de Macau, Hong Kong, Taiwan e China continental. Mesmo estes passaram a estar sujeitos a uma quarentena obrigatória de duas semanas, caso tivessem estado nos 14 dias anteriores em qualquer território ou país.

Mais de duas mil pessoas foram encaminhadas para quarentena, a esmagadora maioria distribuídas e isoladas em oito hotéis que o Governo de Macau decidiu converter em centros de quarentena.

Hong Kong anunciou a proibição de entrada de todos os não residentes na região administrativa especial chinesa a partir de quarta-feira, face à escalada de casos, que duplicaram no espaço de uma semana, totalizando mais de 350 infectados e quatro mortos desde o início da epidemia.

Os residentes de Macau podem entrar em Hong Kong mas caso tenham estado em países de alto grau de contágio serão sujeitos a período de quarentena. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH