Banco de Cabo Verde disponibiliza 400 milhões de euros à banca em resposta ao Covid-19

27 March 2020

O Banco de Cabo Verde aprovou um pacote excepcional de medidas de estímulo e de flexibilização para mitigação do impacto do vírus corona na economia do país, ao abrigo do qual a banca terá ao dispor mais de 400 milhões de euros, anunciou quinta-feira na Praia o governador da instituição.

Uma das medidas anunciadas por João Serra será a redução da taxa directora em 125 pontos base, passando dos actuais 1,5% para 0,25%, medida que “visa provocar uma reacção mais rápida e profunda nas acções de resposta da banca, sem comprometer ou causar insegurança em segmentos chave do financiamento das instituições de crédito.”

Outro estímulo é a diminuição da taxa da facilidade permanente de cedência de liquidez em 250 pontos base, de 3% para 0,5%, visando, segundo João Serra, a manutenção do factor “confiança” nos mercados, ao sinalizar à banca uma total disposição do banco central em ceder fundos em casos de dificuldades ou escassez de liquidez.

O governador, citado pela agência noticiosa Inforpress, avançou também a criação de um novo instrumento de cedência de liquidez a longo prazo, denominado Operação Monetária de Financiamento a Longo Prazo (OMF), para financiamento à banca em prazos que podem ir até três anos e o estabelecimento de uma taxa de juro atractiva, de 0,75%, para a linha de financiamento a prazo alargado.

João Será enumerou igualmente a disponibilização aos bancos de uma linha de financiamento, por via da OMF, com condições especiais de financiamento, à taxa de juro de 0,75%, podendo o valor ir até 45 mil milhões de escudos, em função da dívida pública detida por cada banco, com maturidade igual ou superior ao prazo do crédito concedido.

“Esta linha de financiamento tem como garantia os títulos de dívida pública, Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro, devendo ser accionada até Dezembro do corrente ano de 2020, à razão de um total de cinco mil milhões de escudos/mês”, acrescentou.

Foi da mesma forma anunciada a redução da taxa das facilidades permanentes de absorção de liquidez em cinco pontos base, de 0,1% para 0,05%, com vista à reorientação dos recursos bancários para o crédito à economia.

A redução do coeficiente das Disponibilidades Mínimas de Caixa em 300 pontos base, de 13% para 10%, é outra medida anunciada para incentivar “fortemente” a banca a canalizar a liquidez libertada para o crédito à economia, aumentando-o na mesma proporção, em termos de novos fluxos de crédito, até ao final de 2020. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH