Estaleiro naval de Angola associa-se a parceiros da China para construir embarcações de pesca

27 March 2020

A Sociedade de Pescas do Cuanza Sul (Sopesul) pretende aumentar a construção de barcos de pesca semi-industrial de cerco e de arrasto em madeira, para minimizar os custos associados à importação, contando para o efeito com parceiros da China, revelou o proprietário, em declarações ao Jornal de Angola.

António Vieira referiu que, para dar sustentabilidade ao projecto, a Sopesul e parceiros da China, que não identificou, preparam um pacote de investimentos avaliado em cerca de cinco milhões de dólares.

“Estamos a criar condições para sermos o maior estaleiro de Angola, com a construção de embarcações semi-industriais e dar resposta gradual às grandes carências nesse domínio”, referiu, destacando o “bom acompanhamento” do Ministério das Pescas e do Mar, o que viabilizará o licenciamento das embarcações a serem construídas no estaleiro, localizado na cidade do Lobito.

Sublinhou que as províncias de Cabinda, Zaire, Bengo e Cuanza Sul garantem a madeira para a construção das embarcações, apenas sendo importadas as redes de arrasto e de cerco, GPS, sistema de refrigeração e motor de 40 nós e outros equipamentos.

“Não há constrangimentos na aquisição de material no país e na China temos um fornecedor de equipamentos electrónicos para navegação e localização do cardume”, esclareceu António Vieira. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH