TAP – Air Portugal negoceia empréstimo com sindicato liderado pelo ICBC

20 April 2020

A TAP – Air Portugal está a negociar um empréstimo até 375 milhões de euros com o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) e duas outras instituições financeiras internacionais, noticiou o português Jornal Económico.

O jornal, que recorda estar a TAP com a actividade praticamente parada devido à pandemia de Covid-19, adianta ter sido já manifestado o interesse por parte de fundos de investimento em participar na operação que deverá ter o aval do Estado português.

A TAP já avançou com o pedido de auxílio ao Estado devido ao impacto que o novo vírus corona está a ter na sua actividade, tendo o presidente do conselho de administração da companhia, afirmando esperar “conhecer a resposta muito em breve.”

Miguel Frasquilho salientou ainda no decurso de uma reunião ocorrida no parlamento que esse auxílio “terá condicionalismos associados”, mas acrescentou que “é nessas condições que pensamos que o auxílio acontecerá.”

O jornal escreveu que entre essas condições estarão alterações ao nível do modelo de governação da TAP, com o Estado a assumir outro papel, designadamente marcando presença na comissão executiva.

David Neeleman, que detém – juntamente com o empresário Humberto Pedrosa – o consórcio Atlantic Gateway, dono de 45% do capital da companhia aérea portuguesa, disse ao jornal Observador estar “totalmente disponível” para colaborar com o Governo numa solução para a TAP.

O primeiro-ministro, António Costa, e o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, têm admitido a possibilidade de nacionalizar a companhia, mas Neeleman disse ainda ao jornal que a companhia tem propostas competitivas para se financiar e que o que precisa é de “uma garantia estatal.”

“Entre os diversos mecanismos disponíveis de apoio de Estado, a emissão de uma dívida garantida é o que vem sendo adoptado com mais frequência pelos nossos concorrentes por ter uma série de vantagens, entre elas o tempo de execução que nesse momento é crucial para a TAP”, assegura o empresário.

O Grupo TAP registou prejuízos de 105,6 milhões de euros em 2019, uma melhoria de 12,4 milhões de euros face às perdas de 118 milhões registadas em 2018.

Além dos 45% dos privados da Atlantic Gateway, a TAP é detida em 50% pelo Estado, através da Parpública, e em 5% pelos trabalhadores. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH