Governo de Macau prepara novo sistema de controlo da doença através de meios digitais

23 April 2020

O governo de Macau está a estudar a criação de um novo “código de saúde” através de uma aplicação com um código QR de cores para facilitar o movimento de entradas e saídas de residentes e não-residentes de Macau que se desloquem à China continental.

A cor vermelha indicará que o portador é um caso confirmado ou suspeito de Covid-19, a amarela dará a conhecer um contacto próximo e a verde indicará que o portador não teve contactos com a doença.

O código será semelhante ao utilizado actualmente na China e ao do teste de ácido nucleico e visa facilitar os movimentos nas fronteiras de Macau, nomeadamente de residentes de Macau e trabalhadores não-residentes, para que possam cruzar mais facilmente a fronteira com o vizinho município de Zhuhai.

Este novo código facilitará ainda o movimento de milhares de jovens de Zhuhai que estudam em Macau.

Desde 20 de Fevereiro que os trabalhadores não-residentes que vivam em Zhuhai são obrigados a uma quarentena de 15 dias no próprio município antes de lhes ser autorizada a entrada em Macau.

A coordenadora do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, Leong Iek Hou disse quarta-feira em conferência de imprensa que o novo código de saúde pretende aumentar as funções básicas de Declaração de Saúde, para uma melhor clarificação do estado de saúde dos seus utilizadores através de cores.

Leong disse ainda que oportunamente serão dados pormenores desta nova funcionalidade do “código de saúde”, um aplicação digital dos Serviços de Saúde de Macau, que está em vigor desde o início da epidemia e que serve para os residentes de Macau acederem a departamentos governamentais, serviços públicos e casinos.

O anúncio desta nova aplicação foi feita numa altura em que não se registam casos de Covid-19 em Macau há 15 dias.

O Chefe do Executivo Ho Iat Seng disse segunda-feira que as medidas restritivas de entradas e saídas de Macau para a província de Guangdong só poderão ser levantadas quando o código de saúde for compatível com o utilizado na China continental.

Ho disse ainda que o sistema utilizado na China não pode ser aplicado em Macau devido à lei de protecção de dados pessoais.

O Chefe do Executivo disse também que estão em curso contactos com as autoridades sanitárias de Guangdong para a criação do novo código de saúde de Macau. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH