Mercado imobiliário de Angola está parado há cinco anos

27 April 2020

A quase totalidade das empresas que operam no sector imobiliário de Angola encontra-se numa situação de falência técnica, em resultado da paralisação do mercado há mais de cinco anos, disse o presidente da Associação dos Profissionais Imobiliários de Angola (APIMA).

Pedro Caldeira disse ao Jornal de Angola que a falta de co-financiamento é o principal problema do sector, de que resulta a paralisação do mercado imobiliário e torna difícil a acção dos promotores, pois este é um segmento económico que exige muito contacto social.

Dizendo que a crise afectou fortemente as áreas de venda e arrendamento, adiantou serem vários os problemas, tendo citado a ausência de financiamento ao investimento, desburocratização do sistema de regularização jurídica dos negócios imobiliários, taxas de juro pouco atractivas para o crédito ao consumo, inactividade do Instituto Nacional de Habitação no que se refere à emissão de alvarás e cédulas para a actividade no sector e a falta de carteira profissional, entre os mais visíveis.

Na entrevista ao jornal, Pedro Caldeira, insatisfeito com o actual contexto do mercado imobiliário, acusou a banca de ter deixado de financiar o sector por achar ser uma área representativa de um risco agravado.

Refere não existir no país crédito à habitação, instrumento que poderia facilitar aos empresários a construção de urbanizações de renda baixa.

O responsável lembrou que a APIMA é uma associação sem fins lucrativos e fundos próprios, pelo que não é possível desenvolver negócios imobiliários sem financiamento, tendo afirmado que o governo pode contar com os seus associados para traçar estratégias capazes de alavancar o sector imobiliário privado e atingir os objectivos nesse segmento. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH