Inquérito de conjuntura à restauração e ao comércio a retalho de Macau referente a Março de 2020

21 May 2020

Em Março de 2020 o desempenho dos negócios tanto do ramo da restauração como do ramo do comércio a retalho continuou fraco. Quanto à restauração, 97% dos proprietários entrevistados declararam diminuições homólogas no volume de negócios, tendo esta proporção descido ligeiramente 1 ponto percentual, relativamente à de Fevereiro. Destaca-se que todos os proprietários entrevistados dos restaurantes chineses e 98% dos proprietários dos estabelecimentos de comidas e lojas de sopas de fitas e canjas manifestaram decréscimos homólogos no volume de negócios, tal como em Fevereiro. A proporção dos proprietários dos restaurantes japoneses e coreanos (94%), que declararam diminuições homólogas no volume de negócios, baixou 6 pontos percentuais. Por seu turno, apenas 2% dos proprietários entrevistados da restauração manifestaram acréscimos homólogos no volume de negócios de Março, tendo esta proporção sido idêntica à de Fevereiro, informam os Serviços de Estatística e Censos.

Quanto ao comércio a retalho, em Março o volume de negócios de 87% dos retalhistas entrevistados diminuiu em termos anuais, esta proporção subiu 3 pontos percentuais, face à do mês anterior. Salienta-se que todos os retalhistas entrevistados: de artigos de couro; de relógios e joalharia; de vestuário para adultos, assim como de produtos cosméticos e de higiene declararam decréscimos homólogos no volume de negócios. A proporção dos retalhistas de mercadorias de armazéns e quinquilharias, que manifestaram diminuições homólogas no volume de negócios, manteve-se em 91% e a proporção dos vendedores de automóveis (44%) diminuiu 11 pontos percentuais. Por seu turno, 10% dos retalhistas entrevistados declararam aumentos homólogos no volume de negócios, menos 3 pontos percentuais, relativamente à proporção de Fevereiro.

Quanto às expectativas para o mês de Abril, de um modo geral, os proprietários entrevistados da restauração e os retalhistas do comércio a retalho estavam menos confiantes em relação ao comportamento do mercado, devido ao contínuo impacto gerado pela epidemia, ou seja, 56% dos proprietários entrevistados da restauração e 62% dos retalhistas anteviram que o volume de negócios para Abril diminuísse cinquenta por cento ou mais, em termos anuais. De entre os diversos comerciantes entrevistados, verificou-se que 80% ou mais dos proprietários dos restaurantes ocidentais, dos proprietários dos restaurantes chineses, dos retalhistas de artigos de couro, dos retalhistas de vestuário para adultos, dos retalhistas de relógios e joalharia e ainda dos retalhistas de produtos cosméticos e de higiene, previram decréscimos homólogos iguais ou superiores a cinquenta por cento no volume de negócios para Abril.

Os destinatários do “Inquérito de Conjuntura à Restauração e ao Comércio a Retalho” foram seleccionados com base no volume de negócios. Inclui-se no actual inquérito 186 restaurantes e estabelecimentos similares (correspondentes a cerca de 53% das receitas do ramo) e 135 retalhistas do comércio a retalho (correspondentes a cerca de 70% das receitas do ramo). Os resultados do inquérito reflectem apenas a estimativa sobre a situação da conjuntura dos proprietários e retalhistas entrevistados, já que não foi realizada uma inferência global.
(Direcção dos Serviços de Estatística e Censos)

Gabinete de Comunicação Social: https://news.gov.mo/detail/pt/N20ES7a1XK?6

MACAUHUB FRENCH