Abertura ao público da Área de Conservação e Exposição dos Vestígios Arqueológicos do Fosso do Colégio de S. Paulo e lançamento do Relatório do Projecto de Escavação Arqueológica das Ruínas do Colégio de S. Paulo 2010-2012

16 September 2021

Com o intuito de divulgar os resultados dos trabalhos de escavação arqueológica das Ruínas do Colégio de S. Paulo, desenvolvidos ao longo dos últimos anos, o Instituto Cultural (IC) irá abrir ao público, a partir de hoje, dia 15 de Setembro, a Área de Conservação e Exposição dos Vestígios Arqueológicos do Fosso do Colégio de S. Paulo, após a conclusão dos respectivos trabalhos, incluindo as fases de escavação, limpeza e optimização das condições para visitas ao local. Paralelamente, será também divulgada a publicação do Relatório do Projecto de Escavação Arqueológica das Ruínas do Colégio de S. Paulo 20102012, que foi editado conjuntamente pelo IC e pelo Instituto de Arqueologia da Academia Chinesa de Ciências Sociais, encontrando-se agora publicado e à venda no Centro de Informações ao Público, nas instalações dependentes do IC, na Plaza Cultural Macau e na Livraria Online do Instituto Cultural, para aquisição pelo público em geral.

Localizado no n.º 20 da Rua de D. Belchior Carneiro, o fosso aonde foram encontrados os vestígios arqueológicos situa-se dentro da área anteriormente ocupada pelo antigo Colégio de S. Paulo. Entre 2010 e 2012, uma equipa arqueológica foi criada pelo IC e pelo Instituto de Arqueologia da Academia Chinesa de Ciências Sociais, para desenvolver trabalhos de escavação neste local, tendo descoberto, mais tarde, um fosso rochoso de grande dimensão, de origem humana, com uma profundidade de cerca de 9,8 metros e um diâmetro de cerca de 5,8 metros, com uma forma circular em planta. No local foi também encontrada uma quantidade considerável de fragmentos de cerâmica e pedaços de materiais de construção.  Entre os objectos encontrados, foi identificada uma quantidade significativa de fragmentos de cerâmica produzida nos finais da dinastia Ming e inícios da dinastia Qing e que era destinada à exportação, que constituem testemunho importante sobre o papel de Macau no contexto da Rota Marítima da Seda e demais estudos relacionados. Face ao valor arqueológico do fosso rochoso, o IC iniciou no ano transacto o processo de classificação do fosso rochoso sito na Rua de D. Belchior Carneiro como um bem imóvel de valor patrimonial.

Em aditamento, e tendo em vista divulgar os resultados dos trabalhos arqueológicos que foram já executados neste local, e o seu valor histórico e cultural, o IC decidiu criar uma área de conservação e exposição, para dar a conhecer ao público o processo dos trabalhos de escavação e as principais informações associadas aos muitos objectos que foram descobertos, através de textos e desenhos ilustrativos. Após a abertura do local ao público, o antigo fosso do Colégio de S. Paulo irá integrar o conjunto das Ruínas do Colégio de S. Paulo, juntamente com outros monumentos do património da mesma área, nomeadamente, os vestígios da antiga Igreja da Madre de Deus, a Fortaleza do Monte, o Museu de Macau, entre outros, enriquecendo ainda mais os recursos culturais e turísticos daquela zona que irá certamente cativar ainda mais o interesse do público e facilitar mais visitas ao local.  Em paralelo, é importante de referir que os membros do Conselho do Património Cultural emitiram pareceres técnicos favoráveis sobre a abertura ao público da referida área de conservação e exposição, por ocasião da reunião ordinária que organizaram em Agosto. De facto, e em virtude do interesse demonstrado pelos membros do Conselho, o IC organizou anteriormente uma visita de estudo ao local, facilitando assim a troca de opiniões e ideias entre os membros, em relação à futura promoção e utilização da área. Na gestão da área de conservação e exposição dos vestígios arqueológicos do fosso do Colégio de S. Paulo serão implementadas medidas restritivas de prevenção anti-epidémicas, conforme definidas pelos Serviços de Saúde, pelo que os visitantes devem, aquando da sua visita, utilizar máscara, zelar pela higiene pessoal e ambiental, manter um distanciamento social adequado e colaborar com as instruções de controlo do fluxo de pessoas no recinto.

Em simultâneo, e contando com a edição conjunta do IC e do Instituto de Arqueologia da Academia Chinesa de Ciências Sociais, foi publicado, pela China Science Publishing & Media, o Relatório do Projecto de Escavação Arqueológica das Ruínas do Colégio de S. Paulo 2010-2012, em Chinês simplificado. Esta publicação tem como objectivo apresentar, de forma sistemática e estruturada, os resultados dos trabalhos de escavação desenvolvidos pela equipa arqueológica criada pelas duas entidades para os trabalhos de investigação das Ruínas do Colégio de S. Paulo, entre 2010 e 2012, incluindo também os resultados das análises que foram realizadas sobre partes do muro de taipa do Colégio, e informações sobre os vários vestígios arqueológicos relacionados com o fosso e com os objectos descobertos neste sítio arqueológico, entre outros elementos. Pelo exposto, a publicação deste relatório apresenta assim também um valor académico muito importante para demais investigações, incluindo o contexto histórico das Ruínas do Colégio de S. Paulo, a arqueologia histórica de Macau, a história comercial sino-portuguesa e elementos relacionados com o intercâmbio cultural entre a China e o exterior.

Informa-se também que o preço de venda do Relatório do Projecto de Escavação Arqueológica das Ruínas do Colégio de S. Paulo 2010-2012 é de 360 patacas. Os interessados podem dirigir-se ao Centro de Informações ao Público, ao Arquivo de Macau, ao Museu de Arte de Macau, à Plaza Cultural Macau ou a qualquer outro local indicado (www.icm.gov.mo/academics/cn/sellingBook), para adquirir o mesmo. Os interessados podem ainda adquirir a referida publicação através da Livraria Online do Instituto Cultural, através do link www.icm.gov.mo/bookshop, sendo que os leitores que se encontrem em Macau podem levantar presencialmente a publicação adquirida em qualquer uma das 14 bibliotecas públicas de Macau (na Península de Macau, Taipa ou Coloane), enquanto que os leitores que se encontrem no exterior receberão os seus exemplares através do Serviço de Correio Rápido (EMS) da Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT). Para mais informações, é favor contactar o IC através do telefónico n.º 2836 6320 durante o horário de expediente.
(Instituto Cultural)

Gabinete de Comunicação Social:
https://www.gcs.gov.mo/detail/pt/N21IO0Qovl?6

MACAUHUB FRENCH