Brasileira Vale investe até 20 mil milhões de dólares em África, com Moçambique na “mira”

1 November 2010

São Paulo, Brasil, 1 Nov – A empresa brasileira de mineração Vale vai investir em projectos em África entre 15 mil milhões de dólares e 20 mil milhões nos próximos cinco anos, quase dez vezes mais do que gastou até agora no continente, e Moçambique será um dos destinos prioritários.

A empresa, que já é a maior produtora mundial de minério de ferro, revelou na semana passada que pretende com estes investimentos tornar-se também num dos três maiores produtores de cobre no continente, onde existe deste minério em abundância, explorando também ferro e carvão.

O anúncio foi feito pelo presidente da Vale, Roger Agnelli quando a empresa anunciou um lucro trimestral recorde de 10,5 mil milhões de reais (6 mil milhões de dólares).

O investimento total da empresa em 2011 será o maior de sempre, 24 mil milhões de dólares, quase o dobro do programado até o final de 2010.

Segundo Agnelli, os investimentos serão financiados “plenamente” pel capital da empresa, sem necessidade de recorrer ao crédito.

Em África, a Vale está a direccionar os seus principais investimentos africanos para Moçambique, Zâmbia, Guiné-Conakri e Libéria.

Mas também se tem mostrado atenta a oportunidades na República Democrática do Congo e Angola, sobretudo para produção de cobre.

Até hoje, os investimentos no continente ascendem a 2,5 mil milhões, mas quase totalmente na exploração, pelo que a margem para aumento é grande.

Recentemente, a Vale revelou que as estruturas básicas que vão permitir dar início à exploração de carvão em Moatize, Moçambique, estão concluídas em cerca de 75 por cento.

A extracção de carvão ter início ainda este ano, depois de um investimento de 1,3 mil milhões de dólares, e as primeiras exportações em Julho de 2011.

A Vale começou a operar em Moatize em 2004, quando ganhou o concurso para fazer estudos de viabilidade no local, que fica a mais de 1,7 mil quilómetros a norte da capital moçambicana, Maputo.
Em 2007, recebeu a autorização de exploração e no ano seguinte iniciou as obras de implantação da mina.

Paralelamente, o governo de Moçambique e a Vale estão a estudar a possibilidade de utilizar gás metano, libertado durante o processo de extracção de carvão mineral, para a produção de energia eléctrica.

Segundo disse este mês ao jornal público Notícias o vice-ministro moçambicano de Recursos Minerais, Adbul Razak, “não se sabe ainda se a energia será usada para a rede pública nacional ou se vai ser para o consumo interno da própria empresa de mineração”.

O estudo de viabilidade deve ser feito com ajuda de parceiros indianos, adiantou o governante moçambicano.

A Vale está ainda interessada em explorar depósitos de fosfatos na província de Nampula, e deverá iniciar um estudo de viabilidade económica em 2011, embora a exploração dos depósitos não deva começar antes de 2014.

Este ano, a empresa mineira Vale ultrapassou a petrolífera Petrobras e passou a ser a maior empresa exportadora do Brasil, de acordo com dados divulgados em Brasília pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH