Comissão Europeia e China iniciam cooperação em plataformas e corredores de transportes

25 February 2019

A Comissão Europeia e a China estão a cooperar na criação de plataformas e corredores de transportes, no âmbito da iniciativa Faixa e Rota, em que Portugal pretende participar, e de projectos europeus de relacionamento.

Maja Bakran Marcich, directora-geral adjunta da Comissão Europeia para a Mobilidade e os Transportes, disse que as autoridades europeias vão “trabalhar com a China para planear as plataformas e corredores”, tendo acrescentado ter-se chegado a um acordo para elaborar os termos de referência de um estudo com aquele objectivo.

A afirmação de Bakran Marcich consta do relatório final do recente Fórum Europa-China, cuja organização envolveu a missão da China na União Europeia e o Instituto da China para a Reforma e Desenvolvimento e que decorreu à porta fechada, ao abrigo das chamadas “regras de Chatham House.”

Bakran Marcich adiantou no decurso da conferência que a ênfase da Comissão Europeia em actuais projectos de transportes está na “qualidade de ligação”, com intenção de “construir parcerias fortes”, tirando partido do “significativo quadro financeiro” disponível.

“Já dispomos de uma rede que cobre os Balcãs Ocidentais e se estende a países parceiros orientais. A cooperação deve respeitar a partilha de princípios de regras de mercado e normas internacionais e padrões estabelecidos”, referiu ainda a responsável europeia.

A China e a UE assinaram em Setembro de 2015 um memorando de entendimento sobre o estabelecimento de uma plataforma de relacionamento, com o objectivo de criar sinergias entre as políticas e projectos da UE e a iniciativa Faixa e Rota, particularmente através da cooperação em infra-estruturas, financiamento, interoperabilidade e logística.

Membro da União Europeia, Portugal tem vindo a mostrar grande interesse na adesão à iniciativa Faixa e Rota, tendo sido pioneiro, entre os europeus, com a assinatura de um memorando com a China, durante a visita do Presidente Xi Jinping a Lisboa no final de 2018.

Foco particular do interesse é o projecto de expansão do porto de Sines, para o qual Portugal pretende captar investimento chinês, bem como outras infra-estruturas complementares.

O relatório final agora divulgado adianta que, embora a iniciativa Faixa e Rota inclua todos os tipos de transporte terrestre e marítimo, deve ser dado “um impulso especial” aos caminhos-de-ferro e operadores ferroviários.

Jiang Ruiping, vice-presidente da Universidade de Relações Externas da China, defendeu na mesma conferência que a cooperação China-UE “deve centrar-se na normalização, porque relacionamento diz respeito a infra-estruturas e questões técnicas.” (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH