Contribuições para o Banco Asiático de Infra-estruturas impulsionaram ajuda externa da China

19 June 2018

A ajuda externa da China triplicou na última década, tendo sido impulsionada nos últimos anos pelas contribuições para o Banco Asiático de Investimento em Infra-estruturas (BAII), de acordo um novo estudo recentemente realizado pelo Instituto de Pesquisa da Agência do Japão para a Cooperação Internacional.

O estudo elaborado por Naohiro Kitano concluiu que a ajuda externa chinesa em 2016 se cifrou em 5,8 mil milhões de dólares, ano em que aumentou perto de 900 milhões de dólares, aproximadamente o valor das contribuições para a constituição do capital social inicial do BAII, que deverão atingir um total de 29,8 mil milhões de dólares.

O mesmo estudo indica que as doações e os empréstimos em condições preferenciais e outros livres de juros na ajuda externa chinesa diminuíram entre 2012 e 2015, mantendo-se ao mesmo nível desde então; em alta está a ajuda externa multilateral, que passou de 300 milhões de dólares em 2014 para 1,4 mil milhões de dólares em 2016.

A ajuda externa líquida chinesa passou de pouco mais de 2 mil milhões de dólares em 2007 para perto de 6 mil milhões em 2016, segundo os dados apresentados por Naohiro Kitano.

A ajuda externa da China é definida no estudo como a soma das doações e empréstimos sem juros pelo Ministério do Comércio e geridos por outros departamentos responsáveis por ajuda externa, além de bolsas atribuídas pelo Ministério da Educação a estudantes de países em desenvolvimento, bonificações de juros em empréstimos, empréstimos em condições preferenciais geridos pelo Banco de Exportações e Importações da China como ajuda externa bilateral e subscrições e contribuições para organizações internacionais elegíveis como ajuda multilateral externa.

O centro de investigação AidData, da universidade norte-americana William & Mary, informou recentemente que Angola foi o terceiro maior destino do financiamento da China no estrangeiro e o maior em África, com um montante de 16 556 milhões de dólares no período entre os anos 2000 e 2014.

Angola surge em quarto lugar no que respeita ao número de projectos com financiamento da China, com 110, sendo ultrapassada pelo Cambodja, 168 projectos, Paquistão, 121 e Zimbabué, 120 projectos.

Os investigadores da AidData escreveram ainda que a China doou ou emprestou 354,4 mil milhões de dólares a outros países no período de 15 anos analisado, aproximando-se do montante concedido pelos Estados Unidos da América, que se situou em 394,6 mil milhões de dólares.

“Pode dizer-se que os EUA e a China são agora rivais no que respeita às respectivas transferências financeiras para outros países”, escreve o director executivo da AidData, Bradley C. Parks. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH