Grupo Huawei leva 4G e 5G para Cabo Verde e Moçambique

23 September 2019

O grupo chinês de telecomunicações Huawei está envolvido no lançamento das tecnologias de redes móveis 4G e 5G em Moçambique e em Cabo Verde, que se espera ajudem a impulsionar ambas as economias de ambos os países.

O presidente da Agência Reguladora Multi-sectorial da Economia (ARME) de Cabo Verde, Isaías Barreto, anunciou na semana passada que o arquipélago vai realizar uma “experiência piloto” com a tecnologia 5G, quando procedia ao acto oficial de lançamento da rede de quarta geração (4G) e entrega dos certificados de direitos de utilização de frequência às duas operadoras (CV Móvel e Unitel T+).

“As redes 5G certamente trarão também melhorias substanciais em termos de largura de banda, de diminuição da latência, com uma velocidade até 100 vezes superior às redes de quarta geração”, afirmou.

A ARME, adiantou, está a analisar em que ilha cabo-verdiana será feita essa experiência piloto do 5G.

Cabo Verde tornou-se em Julho passado o primeiro país da África Ocidental a realizar uma conferência sobre as redes de quinta geração (5G), uma organização também da ARME, em parceria com o grupo Huawei.

Isaías Barreto disse na altura que a ARME estava a realizar um estudo, em parceria com o grupo chinês, que iria dar “pistas importantes” e proporcionar uma “visão mais clara” sobre como deverá ser a tecnologia em Cabo Verde.

O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano, Olavo Correia, afirmou na ocasião que Cabo Verde quer estar entre os primeiros países da África a introduzir a tecnologia 5G.

Justificando o estabelecimento de um acordo estratégico de médio prazo com o grupo Huawei para fazer de Cabo Verde uma nação digital e para se introduzir o 5G no arquipélago, de forma faseada, programada e progressiva, Correia apontou a falta de qualificações dos trabalhadores do país nessa área.

“Essa é a mudança que o país precisa. Velocidade, proximidade no serviço, eficiência e transparência na gestão que a tecnologia vai permitir. E nós, Governo, queremos fazer de Cabo Verde uma nação digital”, frisou.

Dados da ARME indicam que a tecnologia 4G irá permitir uma melhoria substancial na largura de banda, em alguns casos 500 vezes mais rápido do que o 3G, permitindo televisão de alta definição via internet e telemóvel, chamadas de vídeo de alta qualidade e navegação mais rápida.

Em Moçambique, a Huawei, a maior fornecedora de equipamentos para redes e telecomunicações do mundo, estabeleceu no final de 2018 um memorando de entendimento com a Moçambique Celular, para ser a parceira e fornecedora preferencial da operadora moçambicana, permitindo a modernização dos serviços com o uso de tecnologia de ponta LTE 4G e 5G.

O acordo foi assinado pelo PCA da TDM-mcel, Mahomed Rafique Jusob e pelo seu congénere da Huawei, durante o Seminário China-Moçambique em Pequim, paralelo ao Fórum de Cooperação entre a China e África.

Na altura, o PCA da TDM-mcel, afirmou que o acordo representa “um passo importante no contexto de transformação e expansão tecnológica, dentro da estratégia de retorno e desenvolvimento do sector de telecomunicações em Moçambique”. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH