Investimento da China nos países de língua portuguesa atingiu 50 mil milhões de dólares

O investimento directo da China nos países de língua portuguesa atingiu 50 mil milhões de dólares, disse a secretária-geral do Fórum de Macau, Xu Yingzhen, numa entrevista ao jornal Tribuna de Macau.

Xu lembrou ainda que só as trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa cresceram de seis mil milhões de dólares em 2002 para 117,6 mil milhões de dólares em 2017.

A secretária-geral do Fórum disse que um dos trabalhos do Fórum Macau é promover a construção da plataforma de Macau e assegurou que a Região Administrativa Especial tem cada vez um papel mais importante.

Xu disse ainda que Macau “através das suas vantagens próprias, porque historicamente tem relações com os países de língua portuguesa, pode promover a cooperação entre a China e esses países.”

“Macau está-se a transformar numa plataforma de convenções e exposições e de prestação de serviços às pequenas e médias empresas, além de serviços financeiros, dispondo ainda de um portal. É através dessas plataformas que pode promover a cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa e a envidar esforços na formação de bilingues e na formação de funcionários dos países de língua portuguesa”.

A secretária-geral do Fórum considerou que os trabalhos da instituição vão continuar a estar concentrados na promoção da cooperação económica e comercial, nomeadamente em sectores como as infra-estruturas, capacidade produtiva, turismo e cooperação marítima, mas admitiu que o Fórum de Macau “dá também grande atenção à área da cultura, porque o que é mais importante na cultura é a ligação entre as pessoas e entre os povos.”

Xu Yingzhen disse ao jornal que o facto de o Brasil passar a ter um delegado mais presente no Fórum de Macau é positivo porque aquele país da América do Sul “possui um mercado bastante vasto que os empresários do interior da China estão bastante interessados em conhecer melhor. Por outro lado, na perspectiva do Brasil, o facto de o delegado acompanhar as nossas actividades, permite que possa conhecer mais sobre os trabalhos do Fórum Macau e as potencialidades do interior da China.”

Referindo-se a Portugal, que possui igualmente um delegado não a tempo inteiro, a secretária-geral disse que “o papel de Portugal é bastante importante para o Fórum Macau. Há certas áreas que em Portugal estão muito desenvolvidas como a inovação. Através da sua participação, Portugal pode liderar a cooperação tanto com Macau como com o interior da China, por isso, tem um papel de pioneiro. “

Na entrevista ao jornal, Xu admitiu haver necessidade de fazer esforços no sentido de que as pessoas disponham de mais informação sobre as oportunidades, as políticas, as áreas de cooperação e os projectos disponibilizados tanto na China como nos países de língua portuguesa. (Macauhub)

MACAUHUB FRENCH